ELENCO DE NOVO FILME DA SAGA “STAR WARS” É REVELADO

A Disney e LucasFilm revelaram o elenco do filme “Star Wars: Episódio VII”, que tem previsão de estreia para 18 de dezembro de 2015.

O novo filme da saga criada por George Lucas e produzido pelos estúdios da Disney terá os atores John Boyega (“Attack the Block”), Daisy Ridley (do seriado “Silent Witness”), Adam Driver (do seriado “Girls”), Oscar Isaac (“Sucker Punch”), Andy Serkis (“O Senhor dos Aneis”, “O Hobbit”, “Planeta dos Macacos – A Origem”), Domhnall Gleeson (“Bravura Indômita”) e Max von Sydow (“Minority Report”). O novo elenco se junta aos atores da saga original (dos episódios IV, V e VI), Harrison Ford (Han Solo), Carrie Fisher (Princesa Leia), Mark Hamill (Luke Skywalker), Anthony Daniels (C-3PO), Peter Mayhew (Chewbacca) e Kenny Baker (R2-D2) no novo filme.

elenco completo lento o roteiro do filme. (foto: divulgação/disney)

elenco completo lento o roteiro do filme. (foto: divulgação/disney)

Segundo o tabloide britânico “The Sun”, o elenco do próximo filme da franquia, com lançamento previsto para 18 de dezembro de 2015, se reuniu em um jantar oferecido pelo diretor, J.J. Abrams, no restaurante 34, em Londres. ”Nós estamos extremamente animados em finalmente poder compartilhar o elenco de ‘Star Wars: Episódio VII’. É emocionante e surreal ver os amados atores da saga original e esses novos atores se juntarem para dar vida ao mundo de ‘Star Wars’ mais uma vez.” disse o diretor J.J. Abrams, em comunicado.

Além de dirigir “Star Wars: Episódio VII”, Abrams assina o roteiro junto com Lawrence Kasdan – responsável por “Star Wars: Episódio V – O Império Contra Ataca” e “Star Wars: Episódio VI – O Retorno de Jedi” – e produz o filme ao lado de Kathleen Kennedy e Bryan Burk. O compositor John Williams, que fez a trilha sonora de todos os seis filmes, também está de volta.

As filmagens estão sendo realizadas nos estúdios Pinewood, em Londres e mantém motivada a expectativa e ansiedade dos fãs da série, em decorrência da participação dos ícones da saga e a respeito do desenvolvimento da história que se passa mais de 30 anos após os acontecimentos de “Star Wars: Episódio VI: O Retorno de Jedi”, em que Luke Skywalker consegue fazer com que Darth Vader encontre o seu lado bom e elimine o Imperador Palpatine na segunda Estrela da Morte.

Segundo o site da revista americana “Variety”, Adam Driver, conhecido por sua atuação na série “Girls”, será o Inquisidor, o vilão do novo filme. A revista, especializada em cinema, também havia antecipado que John Boyega está cotado para ser o protagonista jedi, que vai duelar contra Driver.

logo oficial do episódio VII de Star Wars (foto: divulgação/disneyestudios)

logo oficial do episódio VII de Star Wars (foto: divulgação/disneyestudios)

Mariana Cardoso.

Anúncios

BRASIL É UM DOS DEZ FINALISTAS NA CATEGORIA CURTA-METRAGEM NO PRÊMIO OSCAR 2015

O curta brasileiro “O caminhão do meu pai”, dirigido por Mauricio Osaki e realizado em regime de coprodução internacional com o Vietnã, é um dos de finalistas da categoria Curta-metragem de Ficção na 87ª edição do prêmio da Academia de Artes e Ciências Cinematográfica de Hollywood- o Oscar.
Filme de Osaki, rodado no Vietnã, com equipe vietnamita e brasileira, coleciona diversos prêmios internacionais. A história acompanha a pequena Mai Vy, no dia em que deixa de ir à escola para acompanhar seu pai, motorista de caminhão, em seu trabalho. É quando a menina descobre, na prática, que nem tudo na vida é dividido entre certo e errado.

“O caminhão do meu pai” disputou com outros 140 curtas qualificados para a seleção. A lista definitiva de concorrentes terá entre três e cinco indicados, e será anunciada no dia 15 de janeiro. A cerimônia de premiação acontecerá no dia 22 de fevereiro.

caminhao-do-meu-pai_0

Créditos da imagem: ancine.gov.br

Danilo Freitas

‘IRMÃ DULCE’ CHEGA ESTA SEMANA AOS CINEMAS DE TODO O PAÍS

973-md Foto divulgação

Depois de estrear no dia 13 de novembro nas regiões Norte e Nordeste o filme será lançado nas demais regiões no dia 27 de novembro.  Salvador  foi a primeira cidade a exibir o filme, pois foi onde a religiosa nasceu e ganhou o título de Anjo bom da Bahia.

O filme conta a história de Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes, que ainda no início da adolescência despertou o desejo de entrar para a vida religiosa. Aos 19 anos, em 1933, ingressa na Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, no Convento de Nossa Senhora do Carmo, em São Cristóvão (Sergipe) e no mesmo ano, recebe o hábito e adota, em homenagem à sua mãe, o nome de Irmã Dulce. Este é o primeiro longa-metragem sobre a trajetória da freira baiana que dedicou sua vida aos pobres e doentes e que ergueu uma das mais impressionantes instituições sociais do Brasil.

Bianca Comparato Foto divulgação

Superintendente das Obras Sociais Irmã Dulce (OSID) e sobrinha da beata, Maria Rita Pontes, que testemunhou o legado da Dulce dos Pobres, garante que o longa é fiel à realidade. “O filme consegue trazer, com riqueza de detalhes, o exemplo de vida de uma pessoa da nossa geração e que soube ser feliz amando o outro. Ele mostra muito bem o imenso amor que Irmã Dulce tinha pelos mais pobres e o respeito e a admiração que estas pessoas tinham por ela”.

A produção é assinada por Iafa Britz, com direção de Vicente Amorim e roteiro de Anna Muylaert e L.G. Bayão. Na cinebiografia, as atrizes Sophia Brachmans, Bianca Comparato e Regina Braga dão vida à personagem principal. Ainda no elenco atores como Glória Pires, Irene Ravache, Zezé Polessa, Paulo Gracindo Júnior e Fábio Lago também integram a equipe. Irmã Dulce é produzido pela Migdal Filmes, distribuído pela Downtown Filmes e Paris Filmes e tem coprodução da Globo Filmes, da Paramount e do Telecine.

Papa Francisco irá assistir ao filme ‘Irmã Dulce’ na sala de cinema do Vaticano, numa sessão para o Pontífice e mais 53 convidados.

Bia Bandeira

EM SUA PRIMEIRA EDIÇÃO O FESTIVAL INTERNACIONAL DE ROTEIROS “GUIÕES”, REALIZADO EM PORTUGAL TEM COMO SEUS VENCEDORES DOIS BRASILEIROS

facha

Créditos da imagem: guioes.com

Dois roteiristas brasileiros foram os vencedores da primeira edição do Guiões- Festival Internacional de Roteiro Cinematográfico em Língua Portuguesa, que aconteceu nos Paços da Cultura de São João da Madeira, em Portugal, no último dia 22. O grande vencedor foi “O homem descalço”, de Camila Agustini, seguido de “Por toda a vida, Carolina”, do brasileiro Leandro Franz, e de “Os vampiros”, do português Filipe Melo.

Os roteiros de Camila e Leandro foram escolhidos entre dez finalistas – oito deles, brasileiros, sendo que um foi realizado em coprodução com Portugal (“Elon Rabin não acredita na morte”, de Diego Hoefel, Ricardo Alves Jr. e João Salaviza). Os vencedores das primeiras colocações ganharam uma versão do software de roteiro Story Touch, um curso online de escrita criativa, desconto em um curso de escrita para cinema e televisão, e livros de  roteiro, além de prêmio em dinheiro (para o primeiro lugar) e desconto na inscrição para o PLOT 2015, laboratório de roteiro que será realizado paralelamente à próxima edição do Guiões.

Sobre o Guiões

 

O festival, que se estabeleceu como um ponto de contato entre roteiristas, produtores, agentes e realizadores, pretende ser uma alavanca para incrementar os níveis qualitativos de criação e de produção cinematográfica em Língua Portuguesa. Os roteiros finalistas serão disponibilizados em breve no site do evento.

Danilo Freitas

DEBORAH SECCO LANÇA NOVO FILME

Aos 34 anos, Deborah Secco alcança a atriz que sempre quis ser. Ela disse que seu papel no filme mudou sua vida.

“Ele fez entender minha finitude e a possibilidade da morte a qualquer instante. Fez com que eu repensasse tudo”

Em “Boa sorte” ela vive Judite, uma viciada em drogas e portadora de HIV, que se envolve com João (João Pedro Zappa), um garoto com problemas de comportamento. Os dois se conhecem numa clínica de reabilitação e vivem um romance transformador. Dirigido por Carolina Jabor (“O mistério do samba”), o drama recebeu os prêmios de melhor filme (júri popular) e direção de arte no Festival de Paulínia desse ano.

Boa-Sorte-filme-Beneficência-Portuguesa-still-Felipe-ONeill-11-red

Foto Divulgação.

A atriz já havia lido e adorado o conto “Frontal com Fanta”, no qual Boa Sorte é inspirado, quando soube que ele seria transformado em filme por Carol Jabor. Decidida a viver a soropositiva Judite, personagem principal pela qual se apaixonou, enviou e-mail e pediu à diretora uma chance de fazer um teste apesar da negativa inicial e da agenda incompatível com o período de filmagem. Deu certo. Deborah interpretou com grande entrega e talento uma das personagens mais difíceis e desafiadores de sua carreira.

Assista ao trailer:

Victória Liscio

FILME DO TIM MAIA, ASSIM COMO O PERSONAGEM HOMENAGEADO, CAUSA POLEMICA EM SUA NARRATIVA

A cinebiografia “Tim Maia” estreou há duas semanas, em 30 de outubro e, assim como o personagem que retrata, causa polêmica. Isso porque alguns amigos e parceiros do cantor que foram ignorados no filme têm feito críticas a ele. Segundo o diretor do longa, Mauro Lima, no entanto, isso era previsto pelo recorte abordado no roteiro.

(foto: divulgação)

(foto: divulgação)

Entre os motivos, Mauro Lima cita direitos autorais e do uso de imagem até a decisão dele de não mostrar quem eram as pessoas que usavam drogas junto com Tim, contando a historia pela ótica de um amigo próximo baseada na biografia do cantor escrita pelo cantor paraguaio Fabio “Ate parece que foi sonho – Meus 30 anos de amizade e trabalho com Tim Maia” e também na escrita por Nelson Motta “Vale Tudo”. O cineasta ressalta que tal recorte do filme não significa que Tim não teve outros amigos na vida, tão ou mais importantes que os citados.

Grande parte da polemica veio do cantor baiano Hyldon, um dos grandes nomes do soul brasileiro, autor da musica “Na Rua, na Chuva, na Fazenda”, sucesso na década de 1970 e amigo e parceiro de longa data de Tim Maia, o músico, que não aparece no longa, fez algumas reclamações sobre o filme e sobre como o amigo e parceiro musical foi retratado nas telas: drogado, violento e marrento. Lima argumenta que o caminho e o recorte da história do cantor proposto pelo produtor do longa, Rodrigo Abreu Teixeira, foi outro: ele comprou os direitos da biografia do Nelson Motta, mais completa sobre a vida de Tim, de fato, mas também menos intima. De acordo com Lima, se houvesse um livro escrito por Hyldon ou por Cassiano, talvez ele tivesse seguido por outra direção; nesse caso, porém, o diretor achou melhor excluir esses músicos do filme do que citá-los de maneira rasa.

(foto: divulgação)

(foto: divulgação)

Drogas e direitos autorais

Outra justificativa do diretor para não ter citado alguns nomes no filme são as cenas de uso de droga, para preservar a imagem dos amigos, familiares e músicos e o fato de que algumas pessoas não quiseram estar no filme e não liberaram o uso de imagem. Sem citar nomes, ele fala sobre um caso polêmico em que um possível personagem pediu R$ 100 mil só pela parte dele na autoria de uma música que aparece no filme, sem falar em direitos de uso de imagem. Por fim, Lima conclui dizendo que seu filme não é um documento definitivo sobre Tim Maia, mas se fosse, caberiam todos os personages na trama.

Confira também algumas curiosidades sobre e o trailer do filme “Tim Maia”:

  • Babu Santana e Robson Nunes interpretam o cantor em períodos diferentes de sua vida. Curiosamente, o filho de Santana interpreta o músico na infância.
  • Babu Santana teve de engordar 15 quilos para dar vida a Tim Maia.
  • O diretor Mauro Lima e Babu Santana trabalharam juntos em Meu Nome Não é Johnny (2008).
  • O diretor e Cauã Reymond dividiram os créditos em Reis e Ratos (2010).
  • Babu Santana e Cauã Reymond atuaram Não Se Pode Viver sem Amor (2011).
  • Em 2014, o ator Robson Nunes se apresentou em bares de São Paulo com repertório de Tim Maia.
  • Alinne Moraes, paixonite de Tim no filme,é mulher do diretor do filme.
  • Carmelo Maia, filho do cantor esteve presente nas filmagens e até faz uma participação como jornalista.

Mariana Cardoso.

REGINA CASÉ NOVAMENTE NOS CINEMAS

“Made in China” é o primeiro papel de protagonista de Regina desde “Eu tu eles” (2000), filme de Andrucha Waddington que deu a ela prêmios em festivais no Brasil e no exterior. No filme, Regina Casé, vive uma vendedora de uma loja no Saara, cujo proprietário é árabe, mas que tem os negócios abalados a partir da chegada de uma casa administrada por um chinês. O maior problema da concorrência são os preços excessivamente baixos, o que intriga a protagonista e oferece o molho para a comédia do filme. No elenco também estão Xande, Juliana Alves, Luis Lobianco e Otávio Augusto, entre outros. A direção ficou a cargo do cineasta Estevão Ciavatta, marido e sócio de Regina.

143343.jpg-c_520_690_x-f_jpg-q_x-xxyxx

Foto Divulgação.

Sinopse: Francis (Regina Casé) é vendedora na Casa São Jorge, que pertence ao árabe Seu Nazir (Otávio Augusto), e tenta ajudar o patrão a não perder sua clientela para a Casa do Dragão, recém-aberta pelo chinês Chao (Tony Lee). Com o apoio da colega de trabalho e fiel escudeira Andressa (Juliana Alves) e de Carlos Eduardo (Xande de Pilares), seu namorado, Francis investiga a concorrência e tenta desvendar por que as mercadorias chinesas são as mais baratas da Saara. Produção Executiva: Susana Campos, Eliana Soarez, Mariza Figueiredo Coordenador de Produção: Mirela Girardi, Mônica Juncken, Maria Carolina Portugal Produção de Elenco: Gui Gobbi Direção de Produção: Samantha Queiroz Roteiro: Rosane Lima, Patrícia Andrade

Assista ao trailer:

 Victória Liscio